Governador do Banco de Portugal aprovou Vale do Lobo

Citamos

Sábado

Enquanto administrador da Caixa Geral de Depósitos, Carlos Costa votou favoravelmente um empréstimo de 170 milhões ao projeto imobiliário investigado na Operação Marquês, assim como aprovou créditos a Joe Berardo e Manuel Fino.

Foi em 2006 que o então administrador da Caixa Geral de Depósitos Carlos da Silva Costa, atualmente governador do Banco de Portugal, votou um crédito de 170 milhões de euros para a compra do empreendimento turístico de Vale do Lobo, no Algarve, um empréstimo que consta da lista dos mais ruinosos para o banco público e do processo “Operação Marquês“. A ata 52/06 confirma a presença de Carlos Costa na reunião do Conselho de Crédito de 27 de julho de 2006.

Créditos de milhões aprovados à margem das regras e sem discussão nos Conselhos de Crédito, como revelam as atas a que a SÁBADO teve acesso, gestores com pouca experiência bancária, uma ex-ministra com uma avença de 10 mil euros, a alteração dos estatutos da Associação Coleção Berardo para fugir a uma penhora e uma fatura de cinco mil milhões de euros que terá que ser paga pelos contribuintes. É este o resultado de uma investigação da SÁBADO aos últimos anos da Caixa Geral de Depósitos.

Assine já a edição digital por 1 euro para ler o artigo ou encontre-o na edição em banca a 7 de fevereiro de 2019