Justiça impede que dinheiro da venda da Comporta saia para o Luxemburgo

Citamos

Expresso

O dinheiro que a Rioforte irá receber pela venda dos principais ativos da Comporta ficará em Portugal. As autoridades judiciais nacionais decretaram o arresto sobre o valor da venda que deveria viajar para o Luxemburgo, onde a antiga empresa do Grupo Espírito Santo está em insolvência

ouve um novo arresto judicial em torno do fundo imobiliário da Herdade da Comporta. O passo foi dado em janeiro pela justiça portuguesa antes de concluída a venda dos principais ativos do empreendimento turístico ao agrupamento composto por Paula Amorim e Claude Berda.

Foi em janeiro que as autoridades judiciais portuguesas decidiram colocar sob arresto o valor a receber pela Rioforte resultante da alienação dos ativos do fundo da Comporta localizados em Grândola e Alcácer do Sal, segundo informações prestadas pelos responsáveis da insolvência da empresa, no Luxemburgo. É a sociedade gestora de fundos imobiliários Gesfimo, que pertencia ao Grupo Espírito Santo, que está a liderar o processo de venda dos ativos do fundo imobiliário da Comporta.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso – iOS e Android – para descarregar as edições para leitura offline)