Marques Mendes: BdP cancela actual venda do Novo Banco e lança novo concurso até final do ano

Citamos

Negócios Opinião Marques Mendes

O comentador que revelou a resolução do BES antes do anúncio oficial, disse este sábado que o Banco de Portugal vai cancelar o actual processo de venda. Vai lançar um novo depois do teste de stress do BCE. E já há três interessados, diz.

Luís Marques Mendes considera que o Banco de Portugal vai cancelar o actual processo de venda do Novo Banco. Só depois de conhecidas as necessidades de capital decorrentes dos testes de stress, a revelar em Novembro, é que será lançado um novo concurso.

No seu espaço habitual de comentário na SIC, ao sábado, o ex-presidente do PSD declarou que o actual processo, que se encontra na fase das negociações exclusivas com a Fosun (havendo ainda o terceiro candidato, Apollo), vai ser cancelado.

“O Banco de Portugal fecha este concurso e abre [depois] um novo, embora com um prazo mais curto”, explicou Marques Mendes. Haverá um novo concurso, mas só depois de revelados os resultados dos testes de stress feitos pelo Banco Central Europeu, que irão detectar as necessidades de capital do Novo Banco. Não há data oficial mas os resultados deverão ser apresentados em Novembro.

Havendo um novo processo, poderão entrar novos concorrentes que não aqueles que estiveram no actual, iniciado em Dezembro do ano passado (que contou com 17 manifestações de interesse).

Segundo Marques Mendes, até há interessados em participar nesse eventual novo concurso: “Há pelo menos dois bancos de grande peso, europeus, designadamente de Espanha, interessados no Novo Banco”. Mas não só. “E pode haver até um grupo europeu que possa estar interessado em, comprando o banco, fazer uma fusão com o BPI”, acrescentou ainda.

O ex-presidente do PSD, que há um ano revelou antes do Banco de Portugal a decisão de aplicar uma medida de resolução ao BES, especificou que a decisão de deixar cair o actual processo se deve ao facto de haver incertezas relativas ao aumento de capital e não às eleições legislativas de 4 de Outubro.

O Banco de Portugal defende que continua a decorrer a quarta fase da alienação do Novo Banco, que passa pelas negociações exclusivas com as entidades que apresentaram as propostas vinculativas (já fracassaram as negociações com a Anbang; as conversas com a Fosun estão difíceis – a empresa chinesa tem-se mostrado contra aumentar o preço nominal a oferta; resta ainda a Apollo).

“Oportunamente, o Banco [de Portugal] divulgará o resultado do processo negocial que está a desenvolver para concretizar a venda do Novo Banco SA”, diz o regulador.

 

Comments are closed.