Rio Forte mantém dívida de 2,8 mil milhões e reclamações aumentam

Citamos

Dinheiro Vivo

A Rio Forte tem depósitos bancários de 109 milhões de euros, enquanto as 1.250 reclamações de créditos apontam para dívidas de 2,8 mil milhões.

No segundo relatório sobre as insolvências das empresas com sede no Luxemburgo hoje divulgado, os curadores luxemburgueses revelam que no final do ano passado a Rio Forte contava com ativos avaliados em 109,9 milhões de euros. O montante representa uma ligeira diminuição face aos 110,8 milhões que contava no final de agosto de 2015. Contudo, este montante está muito aquém dos 2,8 mil milhões de euros que são reclamados pelos credores no final do ano.

Apesar do valor da dívida da Rio Forte ter-se mantido inalterado face a agosto, o número de reclamações de crédito recebidas pelos curadores luxemburgueses aumentou das 1200 em agosto para as 1250 no final do ano passado. Leia também: tribunal gasta 3 milhoes com empresas falidas do ges.

“Os curadores interpuseram recursos e permanecem em contacto com as autoridades portuguesas com o objetivo de desbloquear a situação”, lê-se no relatório. A Herdade da Comporta é um dos ativos arrestados e que, apesar de ter chegado a ser colocado à venda pelas autoridades do Luxemburgo, continua bloqueado. “Dentro da medida do possível, as vendas futuras de ativos serão anunciadas”, diz o documento, salientando que “as informações atualmente disponíveis pelos curadores não permitem fazer uma estimativa, nem das recuperações totais nem das recuperações relativas à sociedade em questão”.

O prazo para a reclamação de créditos da Rio Forte foi prolongado do dia 31 de março para 30 de junho deste ano. 70 milhões reclamados à ES Control O relatório adianta ainda que no final de dezembro do ano passado, os curadores luxemburgueses receberam sete reclamações de créditos relativos à Espírito Santo Control no montante aproximado de 70 milhões de euros. “Esta sociedade não dispõe de ativos líquidos”, revela o documento.

Comments are closed.